SE NÃO CONSEGUIR VISUALIZAR ESTA EDIÇÃO ELECTRÓNICA CLIQUE AQUI
#99 | DEZEMBRO 2017
 
SÉRGIO SPÍNOLA
Product & Systems Engineer do Grupo Compta
No futuro iremos ver a inteligência artificial a influenciar a gestão de frotas
 

Qual é o historial do Grupo Compta no mercado de gestão de frotas?

O Grupo Compta está na área da gestão de frota desde que criou a empresa Compta Emerging Business, fabricante de software, em 2008. Já nessa altura foram desenvolvidas plataformas para dar resposta a 3 temas distintos: Gestão da manutenção avançada de frotas com necessidades de gestão de planos de manutenção, gestão de programação de reparações, ligação com stocks e com entidades internas e externas envolvidas no processo; gestão de toda a atividade de tracking de viaturas, e alocação operacional de todas as atividades congéneres à sua gestão, e gestão dos seus custos (falamos das características dos veículos, dos colaboradores, da gestão de combustíveis, de seguros, de rendas, de acidentes e multas, de Via Verde e portagens, etc.) e, por último, a gestão avançada de processos ligados à recolha de resíduos urbanos – uma gestão amplamente mais complexa do que o vulgo “gestão de frota normal” (muito associado ao tracking). Neste caso, a frota não é só de camiões, mas de veículos especializados (varredouras, limpeza de contentores, pequenos elétricos, até vassouras de limpeza urbana), mas também da relação com todo o tipo de contentorização, produtores, contratos, e múltiplas maneiras de medir processos de trabalho planeado e realizado. Não é um problema de se saber por onde o veículo andou, mas antes o que importa saber é para onde e que tipo de operação estes equipamentos têm de realizar, assim como a forma em que realizam as suas tarefas. Mais que o tracking, tem a ver com controlo, gestão dinâmica de rotas, automatismos de identificação de contentores, pesagem de contentores, e muitas outras funcionalidades avançadas que caracterizam estes processos operacionais de gestão de equipamentos.

Quais são as principais soluções de gestão de frotas da Compta? Como está segmentada a oferta, as soluções da empresa destinam-se quer a veículos ligeiros quer a veículos pesados?

No seguimento da explicação anterior, hoje a Compta tem o Bee2Maintenance, Bee2Fleet e Bee2Waste, endereçando cada problemática. A lógica de criação de produtos de gestão operacional permite interligar plataformas e dar a cada cliente os produtos mais adequados às suas necessidades, parametrizados de forma a dar resposta aos processos em que se revêm na sua forma futura de controlo da atividade. Qualquer veículo ou equipamento pode ser gerido nas plataformas, ligeiros, camiões ou outros.

Quais são as principais tecnologias que a Compta integra no seu serviço de gestão de frotas?

Sendo fabricante de software, a Compta tem uma grande vantagem ao ser agnóstica em relação aos equipamentos que gere e coloca. A capacidade de estar sempre atenta ao mercado das tecnologias, de entender os processos dos clientes e o que eles desejam fazer na sua gestão, permite-nos ir buscar diferentes tecnologias de angariação de dados, ou de interação com os equipamentos (onde estão também veículos), e colocar a tecnologia que mais se adequa às necessidades ou exigências dos dados que se pretendem recolher e da informação que se pretende gerir. São exemplos, autenticadores de condutores, equipamentos de comunicação que fazem GPS (Global Positioning System), oscilómetro, box de comunicação e receção de dados GPRS (General Packet Radio Service)/4G, mas por outro lado, consolas de trabalho bidirecional, antenas de leitura automática de identificadores, soluções de pesagem nos veículos, entre outras tecnologias que, por exemplo, são incorporáveis num camião de recolha de resíduos, ou em outros equipamentos que são utilizados nos processos de trabalho.

A entrada do mundo IoT (Internet of Things) na gestão de frotas e congéneres vai permitir cada vez mais entender e gerir bem os equipamentos.

Numa altura em que se aponta a necessidade de transição de redes 4G para 5G em frotas de veículos pesados, como avalia a evolução do mercado português de gestão de frotas em termos tecnológicos?

A gestão de frota não se esgota no tracking para somente a localizar. Mesmo nas soluções de tracking normal muitos dados diferentes podem ser retirados de um veículo, com ou sem ligação ao CanBus (computador interno dos veículos). A utilização de comunicações tem de ser adequada aos processos que se querem gerir. Diversas tecnologias de comunicações podem ser aplicadas em função dos objetivos. Se o 4G aparentemente permite melhores comunicações que o GPRS ou o 2G, nem sempre as condições de trabalho assim o revelam. Há certas funções que podem ser resolvidas com outros modos de comunicação, caso a própria função de real time não seja uma obrigação. O 5G permitirá possivelmente validar outros e novos processos de tráfego de informação. A capacidade das empresas de gerirem as multiplicidades de sistemas de comunicação, e a necessidade de adequarmos a nossa oferta com soluções inteligentes que convergem com o processo do cliente é um desafio para o qual a Compta está preparada. Há mesmo soluções em que transmissões de rádio (por exemplo, Lora, Sigfox) podem substituir algumas funções GPRS/4G.

Na sua opinião, quais são as principais tendências nos serviços de gestão e localização de frotas de veículos?

A gestão de frota está a sofrer um grande desafio, que existe com a Lei de Proteção de Dados, e agora é agravada com a outra nova lei, mais incisiva. As soluções têm de evoluir para cada vez darem mais informação, recolherem mais dados, darem aos gestores maiores capacidades de entenderem o que toda a frota faz, embora estes profissionais estejam condicionados no acesso à gestão de perfis, gestão de pessoas, dados privados e dados profissionais, um facto que irá inibir muitos dos objetivos de gestão. Por outro lado, a entrada do mundo IoT (Internet of Things) na gestão de frotas e congéneres vai permitir cada vez mais entender e gerir bem os equipamentos. Isto é, dotar a gestão de mais dados, de mais informação online, e assim de maior capacidade em reagir às solicitações que a operacionalidade exige nos serviços que prestam. São exemplos disso, a cada vez maior capacidade de dar dinamismo automatizado às rotas realizadas, de entender comportamentos e como se pode tirar melhor partido dos recursos disponíveis, de alterar responsabilidades e tarefas dos equipamentos, dar uma resposta mais eficiente a solicitações e comparar dados, de forma a aproveitar funcionamentos mais eficazes. No futuro iremos ver a componente de inteligência artificial a influenciar também esta gestão. A capacidade de angariar dados que aparentemente nada têm a ver com cada “gestão de frota”, irá permitir criar conhecimento, de forma a sugerir atuações mais inteligentes no modo de proceder e atuar de cada interveniente dos processos de trabalho em que a gestão de frota interage.

O Grupo Compta lançou a comercialização do Bee2Fleet, um projeto de Investigação & Desenvolvimento em parceria com o Parque de Ciências e Tecnologias do Alentejo (PCTA). Em que consiste este projeto e qual é a importância da ligação ao meio universitário?

O Grupo Compta, desde a entrada em 2006 da nova Administração e de uma nova estratégia, definiu uma rota de ligação a centros de I&D como determinante para a evolução dos seus produtos. Essa estratégia tem sido realizada junto de diversos centros ligados a Universidades ou Politécnicos. Assim, fruto de uma ligação histórica com Évora, foi implementado o desafio de ligar a nossa experiência e conhecimento com as capacidades e características do PCTA. A entrada de novas ideias, de novo “sangue” universitário, em paralelo com a experiência, têm dado à Compta competências e novas ideias para tentar ir mais além.

No domínio da gestão de frotas, quais são as principais funcionalidades do Bee2Fleet?

A Compta oferece às instituições e empresas a mais completa e abrangente solução de gestão de frota do mercado, permitindo muito mais do que o habitual acompanhamento e os recursos de geo-esgrima disponíveis no mercado. Projetado para empresas com necessidades de um conjunto de recursos mais abrangentes relacionados com a gestão de veículos e operações, a solução Bee2Fleet da Compta abrange a monitorização, geo-esgrima, otimização de rotas, gestão de combustível, manutenção e módulo de reparação, agendamento dos turnos dos condutores, gestão de contratos de seguros e acidentes e correlação de alarmes e eventos.

Atualmente, quais são as parcerias mais relevantes do Grupo Compta do domínio da gestão de frotas?

Como referido, todos os produtos mencionados (plataforma de gestão e softwares colocados nos hardwares) são 100% Compta. Os parceiros são escolhidos pela sua atualização tecnológica, e pelas adaptações a cada função que se pretende ver resolvida na resposta às diversas necessidades de clientes. A pesquisa e escolha é sempre realizada com base na qualidade técnica do mesmo, resistência, durabilidade, e acima de tudo, novidade tecnológica que alargue as potencialidades de funções a desempenhar.

De que forma é que a empresa diferencia a sua oferta de Gestão de Frotas face à concorrência?

Há três princípios básicos dos nossos produtos: adoção de novas tecnologias para apresentar sempre o state-of-the-art nas nossas funcionalidades; flexibilidade da plataforma para que, através de parametrização, seja possível dar resposta a processos totalmente distintos, de clientes distintos, sob uma mesma base e agnósticos à componente de hardware, de forma a irmos sempre em busca da melhor e da mais avançada tecnologia para incorporar nos processos dos clientes.

Biografia
Sérgio Spínola é licenciado em Engenharia de Redes de Comunicação e Multimédia, pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL). É atualmente Product & Systems Engineer da Compta Emerging Business, acumulando o cargo de Business Manager and IT Consultant (Brasil) na mesma unidade de negócio do Grupo Compta. Anteriormente foi Software Designer e Web Developer na mesma empresa.

ÚLTIMAS ENTREVISTAS
Edição Osvaldo Pires Design Lília Correia
Produção Lília Correia Publicidade comercial@algebrica.pt
Esta mensagem está de acordo com a legislação Europeia sobre o envio de mensagens comerciais: qualquer mensagem deverá estar claramente identificada com os dados do emissor e deverá proporcionar ao receptor a hipótese de ser removido da lista. Para ser removido da nossa lista, basta que nos responda a esta mensagem colocando a palavra "Remover" no assunto. (Directiva 2000/31/CE do Parlamento Europeu; Relatório A5-270/2001 do Parlamento Europeu).

jdahdladhdl